Autonomia incomparável

Até 60km
Ideal para operações BVLOS

Decolagem vertical

FPV
100% Digital e HD

Acurácia posicional centimétrica

Gimbal ISR
Real Time no RGB e Termal

Classe 3 da ANAC

1 ou 2 pessoas
Necessárias para operação

Potência Híbrida
Combustão + bateria

Transportável
Em veículos utilitários (caminhonetes)

Com sua primeira versão lançada em 2012, o Nauru possui uma trajetória de recordes e superações. Entre tantos “primeiros lugares” que ele coleciona, estão o de primeiro RPA a sobrevoar a Amazônia, o primeiro drone com tecnologia brasileira a receber um CAVE (Certificado de Autorização de Voo Experimental) da ANAC e o primeiro drone VTOL (Vertical Take-Off and Landing) híbrido desenvolvido no Brasil. Reflexo da força presente no DNA da XMobots, é nele que o passado e o presente da empresa se encontram, rompendo as barreiras da inovação. 

Desenvolvido para operações BVLOS (Beyond Visual Line of Sight) acima de 400ft, o Nauru possui uma extraordinária autonomia de 4 horas de voo. Sua alta capacidade de payload possibilita embarcar um completo sistema ISR (IntelligenceSurveillance and Reconnaissanse), sendo uma poderosa ferramenta em missões voltadas à segurança e defesa.  

Pouso e decolagem em ambientes hostis

Em operações ISR a necessidade de voos em locais hostis com infraestrutura reduzida ou insuficiente – como matas, cidades (zonas de risco) e rios – é uma premissa básica. Por este motivo, a XMobots desenvolveu para o Nauru um sistema híbrido em que o pouso e a decolagem são realizados de forma vertical (VTOL – Vertical Take-Off and Landing) e o voo em si é movido pelo motor a combustão.  

Dessa forma, o Nauru reúne o melhor da tecnologia dos drones: a segurança e versatilidade do sistema VTOL e a grande autonomia dos RPAs de asa fixa.    

Detecte, rastreie e identifique em tempo real

O Nauru 500C ISR possui todos os diferenciais dos outros drones que levam a marca XMobots, como XPlanner, XCockpit, RTK L1 e L2 embarcado de fábrica, XMB Autopilot, entre outros. No entanto, um de seus maiores diferenciais é a sua configuração específica para aplicações ISR diurnas e noturnas, tornando o Nauru um RPA de extrema eficiência em operações de alto valor tático 

Sistema para voo sigiloso

Para missões de inteligência o sigilo do voo é essencial para o sucesso da missão. Para atender esta demanda, a XMobots desenvolveu uma pintura de baixa detectabilidade visual e um sistema de propulsão de baixa audibilidade.  

 Dessa forma o RPA é pintado em dois esquemas de cores para minimizar a visualização do RPAS por observadores em solo. A combinação de cores garante a baixa detectabilidade do RPA em voos a 2500ft AGL. Opcionalmente, o cliente pode requerer grafismo específico. 

A inteligência por trás dos sensores

Quando falamos em Nauru 500C ISR, estamos falando de um sistema de captação e interpretação de dados em tempo real que representa o estado da arte em inteligência, vigilância e reconhecimento.  

 

Esse sistema é composto por 2 sensores principais:   

CÂMERA ESTABILIZADA XSIS EO

A câmera estabilizada XSIS-EO possui sensor eletro-ótico (visível) com zoom de até 30x, acoplado em um gimbal giroestabilizado por sistema inercial, permitindo realização de missões ISTAR diurnas. 

CÂMERA ESTABILIZADA XSIS EOLWIR

A câmera estabilizada XSIS-EOLWIR possui sensor eletro-ótico (visível) e infra-vermelho termal (LWIR), acoplado em um gimbal giro-estabilizado por sistema inercial permitindo realização de missões ISTAR diurnas e noturnas. 

Sistema de inteligência artificial para ISR

As câmeras XSIS-EOLWIR podem se conectar a um processador externo de imagem para processar em tempo real as seguintes funcionalidades:  

 

-Rastreamento de pessoas, carros e barcos;  

-Rastreamento de múltiplos alvos;  

-Indicador de alvos móveis;  

-Apontamento para coordenadas estabelecidas;  

-Georeferenciamento de alvos. 

Segurança e conforto para os operadores

Para operações acima de 3h, o Nauru conta como upgrade a GCS (Ground Control Station) multifunção, desenvolvida para substituir o tradicional notebook em missões onde a ergonomia dos controles e a visualização da instrumentação são essenciais para reduzir a carga de trabalho dos operadores, facilitando o sucesso da missão.   

A GCS acompanha 3 telas multifuncionais de 21,5” touchscreen, onde é possível acompanhar: 

-Dados primários da instrumentação do RPAS (XCockpit);

-Mapas móveis

(coordenadas da aeronave; coordenadas do alvo, coordenada de centro do FOV; slant range para o alvo filmado; posição angular de apontamento do sensor EOIR; nível de zoom, tráfego aéreo, meteorologia);

-Interface geral de comando.

A GCS também possui teclado e trackball robustecido, joystick e manche que permitem envio a mudança das áreas e dos parâmetros sensoreados dos alvos pelo redirecionamento do RPA ou sensores – mediante alteração de suas características de rumo, altitude, azimute, elevação e zoom.

Base móvel para missões estratégicas

Como upgrade do sistema, o Nauru 500C ISR pode contar um shelter de operação de 2,5 toneladas, projetado para ser rebocado em veículos como caminhonetes.  

Totalmente “auto-contido”, essa estrutura é capaz de armazenar 3 RPAs, 2 GDTs e 3 GCS, além de abrigar a equipe de operação durante as missões. 

Ele também possui acesso por digital, sistema elétrico de emergência, climatização de ambiente e poltronas ergonômicas, sendo projetado para garantir o conforto ergonômico e térmico dos operadores, com a proposta de não elevar cargas de estresse durante a operação.  

Quando configurado com 3 GCSs, a operação é realizada da seguinte maneira: 

- GCS 1: Operação remota do RPA 1

- GCS 2: Operação dos sensores e opção de redundâncias

- GCS 3: Operação remota do RPA 2.

Voe além

Integrado de fábrica com um sistema de comunicação que permite operações BVLOS até 30 km, o Nauru também possui um upgrade que possibilita um alcance de até 60km em condições ideais.  

Um drone desenvolvido para missões com elevado grau de complexidade, resultado de anos de investimentos pesados em P&D e fabricado 100% no Brasil.