fbpx

ANAC emite autorização de projeto para drone Arator 5B da XMobots

ANAC emite autorização de projeto para drone Arator 5B da XMobots

ANAC emite autorização de projeto para drone Arator 5B da XMobots

A Gerência Geral de Certificação de Produto Aeronáutica – GGCP da Superintendência de Aeronavegabilidade – SAR da ANAC emitiu hoje autorização para o projeto do drone (como são popularmente chamados os sistemas de aeronaves remotamente pilotadas – RPAS) modelo Arator 5B da empresa Xmobots. Se trata da primeira autorização deste tipo emitida no Brasil.

Giovani Amianti, CEO da XMobots, com sede em São Carlos/SP, explicou que o processo de autorização de projeto de drone do Brasil teve início em 8 de junho de 2017. Foram envolvidos 13 profissionais da empresa, incluindo 5 engenheiros e 8 técnicos. O processo envolveu revisões de projeto, processos, manuais e relatórios técnicos, até desafios aparentemente simples que se revelaram significativamente complexos.

“Foram cerca de 9600 horas gastas neste processo incluindo desenvolvimento de engenharia, ensaios de laboratório, ensaios de solo e ensaios de voo. Um trabalho realmente intenso que mobilizou boa parte da empresa. Muito mais que um reconhecimento por todos esses esforços, esta autorização de projeto abre portas para o setor. Serve de incentivo para que outros fabricantes também busquem essa autorização para seus equipamentos. Enfim, essa profissionalização trará mais segurança para as empresas fabricantes, usuários e demais beneficiários da tecnologia”, afirmou Amianti. Ele ainda ressaltou que as atividades trouxeram ganhos significativos para a maduração de processos e tecnologias empregadas pela empresa tanto no desenvolvimento do produto quanto em sua produção e manutenção.

 

ANAC

O Superintendente de Aeronavegabilidade da ANAC, Roberto Honorato, destacou a importância desta aprovação. Afinal, ela marca a viabilidade do modelo regulatório implementado pelo RBAC-E 94, emitido em maio de 2017. “Entendemos que o atendimento aos critérios de segurança deve ser encarado como fator essencial para desenvolvimento do setor. Além da garantia da segurança para a sociedade brasileira, constitui-se aspecto importante para acesso dos projetos brasileiros à mercados internacionais. Assim, temos boas expectativas de crescimento da atividade num futuro breve”. Atualmente a ANAC avalia seis outros projetos de aeronaves remotamente pilotadas.

A autorização permite que as aeronaves deste modelo possam receber um Certificado de Aeronavegabilidade Especial de RPA – CAER. Dessa forma, indica a capacidade da aeronave operar com segurança em voos com alturas maiores que 400 pés (aproximadamente 120 metros).

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: